Reunião da Diretoria do CNB/CF apresenta novos projetos de tecnologia
Publicado em 12/04/2018

Brasília (DF) - O Colégio Notarial do Brasil - Conselho Federal (CNB/CF) reuniu sua Diretoria e Seccionais para o encontro mensal da entidade, realizado nesta terça-feira (10.04), em Brasília (DF). A apresentação dos projetos de tecnologia a serem desenvolvidos pelo assessor da instituição Renato Martini e o Provimento nº 67 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que regulamenta os processos de mediação e conciliação para notários e registradores, foram os principais assuntosdebatidos. 



O presidente da entidade, Paulo Roberto Gaiger Ferreira, abriu a sessão apresentando o novo assessor de tecnologia do CNB/CF e o trabalho a ser realizado na entidade. Segundo Gaiger, o objetivo de uma parceria de trabalho com o ex-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) é instituir um trabalho com relevância no mercado digital.



Em seguida, Renato Martini iniciou sua apresentação sobre os projetos de tecnologia do Colégio Notarial. “A convicção que tenho é que o segmento notarial está à altura desses desafios da sociedade da informação. Quando estava ligado ao certificado digital, que era a minha missão, já achava isso. A formulação das instalações técnicas foi feita para que esse segmento se inserisse, trouxesse a sua capilaridade para trabalhar o tema da certificação digital. Acho que esse segmento está pronto para esse desafio”, disse.



Martini acrescentou ainda que sua participação no processo é muito humilde e que veio para auxiliar e colaborar junto com o consultor Marcos Paola, também profissional da área de tecnologia do CNB/CF. “O e-notariado pertence a vocês, notários, não pertence a nós, técnicos. Estamos aqui para ajudar, para traçar os melhores caminhos e traçar o cenário. Agora o e-notariado pertence àquele que é dono”.



Em seguida, o assessor de tecnologia falou sobre os desafios do e-notariado trazidos pelos módulos heterogêneos que formam a plataforma. Segundo Martini, a formulação normativa entregue ao CNJ é extremamente desafiadora.

Após a apresentação dos projetos de tecnologia, a reunião seguiu para a segunda pauta: Mediação e Conciliação para notários e registradores. Os presentes debateram sobre o Provimento nº 67 e tiveram a oportunidade de esclarecer suas dúvidas, além de expor suas considerações.

Para o presidente do CNB/CF, a força do notariado está no padrão do serviço prestado, logo os atos de mediação e conciliação têm tudo para ser bem-sucedido. "A nossa fé pública é a nossa força. Então, no momento que nós lançarmos um Centro de Mediação e Conciliação Notarial todo baseado nas mesmas premissas, nos mesmos modelos, vamos ter um modelo vencedor. Nós vamos ter um sistema de justiça alternativo que será difícil de ser batido”.



Os participantes da reunião aproveitaram para falar sobre o XXIII Congresso Notarial Brasileiro, que será realizado entre os dias 16 e 18 de maio, e esclareceram assuntos do evento.

Fonte: Assessoria de Imprensa



Voltar
Compartilhar:
Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Imprimir Email This Compartilhe no Delicious Mais...