carregando ...
logo-menu Notários

Abertura do 29º Congresso Internacional dos Notários é realizada na Indonésia

Nesta quinta-feira (28), foi iniciado o 29º Congresso Internacional dos Notários, no Jakarta Convention Center, em Jacarta, na Indonésia, em evento que contou com 1,5 mil notários dos países membros do mundo inteiro. Para iniciar o Congresso, o presidente da União Internacional dos Notariado (UINL), José Marqueño Llano, realizou um breve discurso.

“Temos 71 nacionalidades presentes. Isso mostra a pujança da União e a importância da função notarial no mundo, pois estamos à serviço da cidadania! Desejo que todos tenham ótimas experiências aqui, e que os trabalhos sejam fundamentais para a melhoria do notariado”, declarou Llano.

O presidente falou sobre uma tradição nos eventos da UINL, que consiste em um representante de um dos países membros da União, fazer um discurso de agradecimento em nome da Instituição. Coube ao presidente do Conselho Geral do Notariado da Espanha, José Ángel Martínez Sanchiz, cumprir esse costume.

“É uma grande honra para mim ter a oportunidade de agradecer em nome de todos os notários, a generosa acolhida que a Associação dos Notários da Indonésia nos deu”, relatou Sanchiz.

Para o espanhol, os notários precisam recorrer aos diálogos para encontrar soluções globais dos problemas internacionais e transfronteiriços.

Trabalhos

Durante o Congresso, serão apresentados trabalhos sobre dois temas. O Tema I é “Validade dos princípios do notariado no século XXI”, e o Tema II é “O notário e a pessoa física”.  A coordenadora do segundo tema, Fatou Mballo Thiam, do Senegal, foi convidada ao palco para breves considerações.

“Os notários podem aprender muitas lições aqui, e é muito importante sabermos quais são as ideias e opiniões dos notários ao redor do mundo”, iniciou Fatou, que ressaltou que os notários têm um papel muito importante na legislatura e com as pessoas. “Somos os intermediários entre as leis e as pessoas”, acrescentou.

O coordenador do primeiro tema, Jörg Buchholz, da Alemanha, também subiu ao palco para fazer uma introdução sobre a validade dos princípios do notariado no século XXI.

“Devemos compreender que, nós notários, estamos trabalhando para melhorar nosso mundo notarial dentro do contexto em que, pressuponho, possamos fazer frente aos problemas internacionais e continentais, e vemos muitos desafios para nossa gente, através da globalização e digitalização”, declarou Buchholz.

A presidente da Associação de Notários da Indonésia, Yualita Widyadhari, também fez um breve discurso, onde destacou a importância de Jacarta ser a primeira cidade da Ásia a sediar o Congresso Internacional dos Notários.

Além disso, Yualita destacou a eleição da nova presidente da UINL, Cristina Armella, ressaltando que “é a primeira vez que a União terá uma presidente mulher. Esse acontecimento é muito importante. Sua gestão se iniciará em janeiro de 2020”.

José Marqueño de Llano discursou mais uma vez, ressaltando que o notariado é parte do poder público, ou seja, é uma função exercida delegada do poder público. Ao constatar a presença do presidente da República da Indonésia, Joko Widodo, o presidente da União ressaltou a importância de sua presença.

“Para o notariado da Indonésia e para o notariado mundial é muito importante a sua presença. Um apoio deste poder nos mostra que é precisamente um reconhecimento da função notarial”, enalteceu Llano.

Segundo o espanhol, o notariado indonésio é uma manifestação do que é o notariado latino. São 89 países membros, em um movimento do notariado continental que está cada dia mais vivo e cada vez mais necessário para a sociedade.

“Não há melhor termômetro para um país do que o notariado. O notariado que representamos é para dar resposta à necessidade da paz social. O movimento das pessoas, das novas tecnologias, o notariado sempre está disposto a dar respostas. Para isso reunimos notários de 71 países, para examinar, responder, as necessidades sociais”, acrescentou o presidente da União.

Llano ressaltou que o notariado se justifica por servir ao interesse geral e particular e, além disso, trabalha com pessoas e não com papéis, e assiste as misérias e grandezas da sociedade.

Coube ao presidente da República da Indonésia, Joko Widodo, fazer o discurso de abertura do 29º Congresso Internacional dos Notários. Em sua fala, destacou a importância das novas tecnologias e dos notários utilizarem os avanços para acompanhar a revolução industrial 4.0.

“O mundo está continuamente mudando com o desenvolvimento das tecnologias digitais em termos da inteligência artificial, a internet das coisas, a era da revolução industrial 4.0. E agora é o momento dos 89 países membros da UINL participarem dessa mudança”, declarou Widodo.

De acordo com o mandatário, a era da Disrupção apresenta desafios novos e maiores, tanto para o governo como também para os notários. “Temos uma tecnologia muito avançada. Os notários podem utilizar a digitalização sem perder a autenticidade, mas os serviços notariais precisam adaptar-se aos avanços da tecnologia”, acrescentou o presidente da República da Indonésia.

Ao finalizar, Widodo desejou que o Congresso tenha um intercâmbio de ideias e informações e que possibilite a todos compreenderem as novidades e a melhoria da qualidade do notariado na era tecnológica.

Admissão dos novos membros da UINL

Durante a cerimônia de abertura, Belarus e Líbano foram integrados à União Internacional do Notariado, e agora se somam aos outros países já integrantes como Brasil, China, Canadá, Indonésia, entre outros. Assim, o Líbano é o membro 88 da União, e Belarus, 89.

Fonte: Departamento Internacional do Colégio Notarial do Brasil