carregando ...
logo-menu Notários

Em Brasília, Colégio Notarial do Brasil inaugura nova sede destacando atendimento a novos projetos e reconhecimento à história da entidade

Tamanha transformação digital e novos projetos em desenvolvimento para o notariado brasileiro pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB/CF) provocaram a necessidade de expansão da sede da entidade. A partir do mês de outubro, o atendimento aos associados será realizado no novo escritório, localizado na cobertura do Centro Empresarial Varig, na Asa Norte de Brasília/DF. A inauguração do novo espaço foi marcada confraternização, nesta quarta-feira (2), com a presença de presidentes das seccionais do colegiado, notários de destaque, magistrados, juristas e parlamentares.

Desde 2006, o CNB/CF ocupava 139 m² no Centro Empresarial Brasil 21, na Asa Sul de Brasília, mas a infraestrutura, que uma vez já foi suficiente para a qualidade de atendimento aos notários, não suportou mais o momento atual e a necessidade de ampliação. O novo espaço que passou a ser ocupado na Asa Norte da cidade é um projeto de 600 m², incluindo área externa, com capacidade de abrigar mais colaboradores para adequar a prestação de serviços a esse novo momento dos tabeliães.

“O crescimento da entidade é mérito de todos. Muito obrigado por nos apoiarem. Essa é a nossa nova casa, a casa de todo tabelião brasileiro, do mais pequeno do interior até o maior da capital. Aqui, temos o nosso ponto de apoio para fazer o notariado brasileiro atender a toda nossa sociedade”, afirmou o presidente do CNB/CF, Paulo Roberto Gaiger Ferreira.

A vice-presidente da seccional de Minas Gerais, Walquíria Rabelo, titular do 9º Tabelionato de Notas de Belo Horizonte, e recentemente presidente eleita do Sindicato dos Notários e Registradores de Minas Gerais (Sinoreg/MG), parabenizou a gestão atual do Colégio Notarial do Brasil pela inovação “em tempo recorde e com eficiência”. “Hoje, quem fala, é a voz da razão. Dos sonhos sonhados por muitos e acreditados por poucos. A voz da humildade e da sensatez, do querer e do acreditar. A voz do fazer acontecer. Sem alarde, aos poucos e sempre com elegância, inteligência e muita sabedoria. Hoje, a voz das Gerais se junta à voz maior, que ecoa no Norte, Nordeste, Sul e Sudeste, a voz que fala a língua dos homens, mas que traduz o sentimento mais nobre e digno de todos os mortais, a gratidão”, agradeceu.

O presidente do Notariado Jovem Brasileiro, Wendell Salomão, destacou que a primeira edição do evento que congrega a todos os notários jovens do Cone Sul ocorrida no Brasil se deu pelo apoio do presidente da entidade. “Homenageamos nosso presidente pelo ineditismo, pela coragem, pela forma como realizou e caminhou com os projetos com o único objetivo de avanço do Notariado Brasileiro. E te parabenizamos pela inauguração da nova sede do Colégio Notarial do Brasil, é notória a sua responsabilidade, motivação e participação para com o Notariado Brasileiro”, concluiu.

“Foi um investimento feito com muita responsabilidade. Estamos muito felizes com esta conquista do CNB. Os tabeliães terão uma sede moderna, com toda a tecnologia e infraestrutura necessárias para receber e projetar o hoje e o futuro da nossa entidade e segmento”, reforçou o tesoureiro do Conselho Federal, Danilo Kunzler.

Uma sede histórica

Na inauguração, ex-presidentes da entidade se reuniram para relembrar o extenso caminho até a conquista de um novo espaço e maior representatividade frente a outros segmentos. “Em 1994, o Colégio Notarial era o presidente, não havia sede. Havia a colaboração de alguns, mas o presidente fazia tudo a partir do seu tabelionato. A partir de 2007, fizemos um esforço maior para prestar um serviço adequado aos colegas e à população. Foi assim que pensamos em trazer a sede pra Brasília, e recebemos uma revolta muito grande de alguns colegas, mas tínhamos que estar perto dos Poderes. Desta forma, conseguimos transformar aqueles poucos recursos em recursos substanciosos, que foram vindo aos poucos e permitiram o que presenciamos hoje”, destacou o ex-presidente, titular do 1º Tabelionato de Notas de Novo Hamburgo/RS, José Flávio Bueno Fischer.

O antecessor de Paulo Ferreira, Ubiratan Guimarães, titular do 1º Tabelionato de Notas e Protestos de Barueri/SP, reforçou a responsabilidade necessária frente à Presidência da entidade de classe. “Esta ampliação representa um trabalho feito para o notariado brasileiro e à sociedade brasileira. A Censec é uma conquista da sociedade brasileira e sem dúvida nenhuma pode entregar muito mais do que já entregou até hoje e tenho muita confiança de que isso é possível. O Brasil vive um momento de dificuldades em todos os níveis, e isso se reflete nas instituições. Nós precisamos ter parcimônia, desprendimento e acima de tudo responsabilidade com os passos que queremos dar para o nosso futuro. E eu tenho confiança de que o CNB será reconhecido como uma instituição respeitada por todos porque faz por merecer”, ressaltou.

Já um dos primeiros presidentes do CNB, João Ferreira, o titular do 2º Tabelionato de Protesto de Porto Alegre/RS, resgatou a memória do notariado brasileiro ao longo dos anos com a participação na União Internacional do Notariado, e parabenizou o trabalho de seu filho também como presidente da entidade. “Paulo, meu tabelião substituto, que com mérito próprio fez muitos avanços para todos nós”, reiterou.

Prioridade aos novos projetos

A expansão da sede do CNB/CF acompanha o crescimento de dois grandes projetos dedicados ao novo notariado. Um deles, a plataforma de modernização de atos notariais e-notariado, que já recebe ampla adesão de tabeliães de diversas cidades brasileiras, contempla também outros novos serviços como o serviço de Backup em Nuvem e Notarchain. Atualmente, já foram certificados para o uso da plataforma 475 tabeliães titulares das serventias brasileiras, sendo 251 credenciados como Autoridades Notariais para expandir o acesso ao e-notariado através da certificação de seus funcionários e terceiros.

O outro grande projeto da entidade é a Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (Censec), que entre suas atribuições, contribui ao combate à corrupção e lavagem de dinheiro. A Censec inicia sua fase 2.0 no próximo dia 7 de outubro com mudança da equipe operacional para Brasília. “A Censec é a inteligência do notariado; é o sistema por meio do qual nós compilamos e organizamos os dados que serão enviados à Unidade de Inteligência Financeira a partir da regulamentação prevista no provimento assinado nessa última terça-feira (1), pelo Conselho Nacional de Justiça”, explicou o presidente do CNB/CF.

A nova Censec propiciará maior agilidade nas integrações com os sistemas de gestão de cartórios e implementações futuras de novas funcionalidades. A experiência do usuário também foi totalmente reformulada, com uma identidade visual e operacional mais moderna. A migração das bases de dados do sistema atualmente vigente para a nova Censec ocorrerá entre os dias 4 e 6 de outubro.

 

Texto: Ascom CNB
Fotos: Valéria Amorim/Candiá Produções