carregando ...
logo-menu Notários

“Não sejam inimigos da mudança”, disse Márcio Evangelista a tabeliães em evento de divulgação do e-notariado em Campo Grande

O juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, Márcio Evangelista Ferreira da Silva, que há pouco atuava como juiz auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi um dos palestrantes convidados para o evento que promoveu, no último sábado (15), a plataforma e-notariado, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Em sua apresentação, falou sobre a importância de se criar uma interconexão entre os notários e de reduzir a resistência às inovações tecnológicas. “Não sejam inimigos da mudança e muito menos reféns. Vocês precisam entender o que está acontecendo e procurar saber juntos, entender a mudança”, aconselhou à plateia de cerca de 80 participantes.

Evangelista ressaltou a necessidade de atualização dos notários perante à demanda social da transformação digital que vem ocorrendo mundialmente. O magistrado advertiu a importância dos tabeliães estarem em conformidade com o Provimento 74/2018, do CNJ, e disse que uma regulamentação específica já está em discussão na Corregedoria Nacional de Justiça. “No mundo, a atividade já está sendo praticada de forma eletrônica, como na França, Itália e Espanha, então o Brasil também tem que se adequar a essas inovações”, alertou.

“O e-notariado é uma plataforma que vem trazer esse avanço tecnológico. É um sistema que vem sendo estudado há mais de dois anos, me foi apresentado em 2016 pelo presidente Paulo Roberto Gaiger Ferreira, e é um serviço que está sendo segmentado paulatinamente, não é nada praticado afoitamente. A plataforma está pronta e pode ser utilizada por todos os notários e vem com a segurança do certificado digital, que é fornecido gratuitamente pelo Conselho Federal do Colégio Notarial”, reforçou.

Confira o depoimento completo:

 

Foram palestrantes do evento também o assessor do CNB, Luiz Carlos Weizenmann, o presidente da seccional do Distrito Federal do CNB, Hércules Benício, e o presidente do Instituto de Estudos de Protestos de Título do Brasil – Secção MS, o tabelião de Notas e Protestos na Comarca de Maracaju, Leandro Augusto Neves Corrêa.

Texto e edição: Ascom CNB/CF